Inflação para famílias de renda mais baixa cai 0,60%
IPCA tem deflação de 0,68% em julho, menor taxa da série histórica
Anvisa proíbe uso do fungicida carbendazim em produtos agrotóxicos
Caminhoneiros recebem auxílio com parcela dobrada
Estudo mostra alta da pobreza em regiões metropolitanas

Alcaraz sonha após maior conquista: ‘Quero ser o Nº 1 e vencer Slams’

Lance

Lance Lance

Após a conquista do Rio Open, seu maior título e como mais jovem a vencer um ATP 500 aos 18 anos e nove meses, Carlos Alcaraz celebrou a conquista e se mostrou ambicioso com seu futuro. Ele sonha grande, em ser o melhor do mundo.

“A verdade é que estou super contente poder ganhar meu primeiro ATP 500, meu segundo título , foi uma semana cheia de emoções, poder ganhar essa final é uma grande alegria apesar de todas as dificuldades e adversidades no caminho, consegui superá-las da maneira que consegui é super bonito poder desfrutar o caminho com a equipe que tenho. É espetacular”, disse o espanhol após marcar 6/4 6/2 sobre Diego Schwartzman, 14º colocado, e levantar seu segundo caneco ATP.

O tenista tem boas memórias do Rio de Janeiro, local onde há dois anos vencia sua primeira partida de ATP: “É especular aqui o Rio de Janeiro, ganhei minha primeira partida de ATP e dois anos depois poder ganhar o torneio significa muito para mim. Quando vim aqui pela primeira vez pensei que viria para seguir desfrutando e aprender com os melhores e repito, vir dois anos depois com as expectativas altas , não vou dizer que não preciso seguir melhorando pois ainda sou jovem e preciso melhorar, mas vou aos torneios pensando que posso ganhar e a verdade é que ter conseguido aqui no Rio é super bonito.”

A conquista deixará o tenista pela primeira vez no top 20 com o 20º lugar e agora ele sonha alto: “O objetivo agora é não baixar e tentar pouco a pouco seguir subindo. Agora tenho vários torneios que no ano passado não pude jogar, é uma oportunidade para seguir subindo e crescendo . Esse torneio me dá muita motivação e ter vontade de seguir vencendo e subindo como estou fazendo”.

E suas ambições ? “Minhas ambições ? Ser o número 1 do mundo, ganhar Grand Slams , ter medalhas olímpicas. Sou um menino que sonho grande”, apontou: “São expectativas altas que as pessoas têm em mim . As pessoas têm em mim que posso ser o melhor do mundo, no fim tanto eu como minha equipe sabemos o difícil que é . Tenho Juan Carlos (Ferrero) que já foi número 1 o qual vou a dizer o quão difícil e sacrificante é chegar ao número 1. No momento estou no caminho correto e se fizer bem as coisas terei chances. Não é garantido que serei número 1, mas terei oportunidades”.

“Ganhar um torneio dá motivação, confiança. Vou aos torneios pensando que vou ganhar mesmo que tenham os melhores do mundo , mas repito o quão difícil é vencer um torneio . Vou aos torneios tentando dar o melhor de mim, me superar em cada um deles e os resultados acompanham muito mais e dar o melhor em cada treino e cada jogo”.

Sobre a partida final, Alcaraz descreveu: “Comecei um pouco nervoso, mas consegui me acalmar para ficar forte mentalmente e essa foi a chave e soube ir melhor nos momentos difíceis. Mostrei maturidade, caráter em quadra”.

Fonte: R7 – Esportes

Compartilhe este conteúdo!

Share on facebook
Facebook
Share on twitter
Twitter
Share on whatsapp
WhatsApp
Share on email
Email

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado.